ORIGENS NO BRASIL

Em 1964 a Congregação das Irmãs de São José de Rochester tinha quase mil membros, na sua maioria servindo no oeste do estado de Nova Yorque, e uma missão entre comunidades discriminadas de negros no sul do país, no estado de Alabama. A sociedade estava clamando justiça... pelos direitos civis dos afro-americanos e indígenas, contra a guerra em Vietnam. O Concilio Vaticano II estava acontecendo, trazendo mudanças para a Igreja e as Congregações religiosas de vida ativa.

Em 1961, Madre Helene e seu conselho ouviram o apelo do Papa João XXIII, que pediu que cada congregação da América do Norte enviasse missionários e missionárias à America Latina até o fim da década. A decisão de enviar irmãs requeria pesquisa, reflexão e viagens. Após um encontro em Nova Yorque, com Dom Benedito Coscia, um norte americano que era bispo de Jataí, GO, Madre Inês Cecília, superiora geral, e seu conselho decidiram abrir uma missão no Brasil.

Mais de 200 irmãs se oferecerem para ir! Cinco foram escolhidas para formar o primeiro grupo - Irmãs Rosalma, Annice, Regis, Adelaide, e Michael Marya. Irmã Rosalma chegou ao Brasil em janeiro de 1964 e fez os primeiros contatos, depois voltou e veio novamente com as outras quatro em agosto de 1964. Estudaram a língua portuguesa em Petrópolis, RJ, e em dezembro do mesmo ano chegaram ao interior da diocese de Jataí, GO, à cidade de Mateira, GO.

 
 
 

O processo de adaptação foi rápida, primeiro as mudanças interiores, na maneira e ver e compreender a realidade, e como consequência destas, as mudanças externas: a maneira de se vestir, o tipo de trabalho que assumiram na educação e na saúde, e o engajamento na pastoral. No início o trabalho foi na educação, e sempre dentro de escolas públicas. As irmãs enfermeiras também trabalharam na saúde pública. O trabalho pastoral, visitas às famílias, catequese, liturgia, jovens, foi feito pelas as irmãs nos fins de semana ou à noite, enquanto mantinham outro trabalho nas escolas e postos de saúde.


Ao longo dos anos as irmãs atenderam novos apelos e formaram comunidades em outras cidades - no sudoeste de Goiás e em Uberlândia em 1967-1968, e em Goiânia em 1984. Continuam até hoje.



Outras missões foram assumidas pelas irmãs - em Mato Grosso, na Prelazia de São Felix do Araguaia (por 22 anos) e entre os povos Karajá e Myky (6 anos), junto ao CIMI; - na Bahia, com os camponeses e povos indígenas (10 anos), com o CIMI e a CPT. Atualmente duas irmãs fazem parte de um projeto intercongregacional na região do Vale do Jequitinhonha, no norte de Minas.



Em 1984 a Congregação começou a acolher jovens brasileiras para caminhar juntas, e se formar como Irmãs de São José de Rochester. Oito jovens entraram no desconhecido com um espírito aberto ao novo, bem semelhante às primeiras irmãs que entraram nos EUA. Hoje são três irmãs brasileiras, todas com votos perpétuos.



Ao todo trinta e oito irmãs fizeram parte da Região Brasileira das Irmãs de São José de Rochester. Atualmente estamos em nove irmãs no Brasil.


 
 
   
VoltarTopo