Experiências
Celebramos a Vida partilhada nos trilhos do Cerrado Goiano
10/11/2010

 Todos os anos celebramos a Festa de Corpus Christi em nossas comunidades, com procissão e reza. Este ano celebramos de forma diferente e foi uma experiência de contemplação, comunhão e caminhada!

Irmã Joana Mendes completou 25 anos de Vida Religiosa e nós duas irmãs da comunidade dela, Maria José Oliveira e Maura Finn, resolvemos levá-la num passeio, para celebrar seu Jubileu. Saímos de Goiânia na véspera da festa, às 14 horas, após as aulas e o trabalho, viajando de carro por cinco horas e chegamos à noite na cidade de Alta do Paraíso, onde nos hospedamos na Posada Camino del Santiago, numa casa de palha.

No dia de Corpus Christi, em comunhão com a natureza singela do Cerrado, fomos cedo para o Parque Nacional dos Veadeiros, ao lado do vilarejo São Jorge, onde encontramo-nos com nossa guia, Maria, nativa da região, na entrada do Parque. Com muito cuidado e carinho Maria nos mostrou coisas interessantes da natureza, que sem ela não teríamos percebido, tanto a respeito dos seres vivos quanto da formação geológica - serviço que ela repete todos os dias. Maria nos contou que trabalhava num garimpo de cristais nesta mesma região, até 1991, quando este e outros garimpos foram fechados. Junto com mais 100 trabalhadores que ficaram desempregados, ela foi treinada para trabalhar como guia no novo parque nacional.

Há dois possíveis passeios dentro do Parque. Entendemos que para enxergar os desfiladeiros seria necessário escalar alguns trechos pedregosos. Optamos pelo outro caminho e descobrimos que foi ainda bastante desafiante para nós que moramos na cidade grande. Caminhamos durante seis horas e vimos campos limpos, montanhas, uma variedade de flores e árvores, grandes cachoeiras e um poço onde era permitido entrar na água limpa e refrescante. Levamos comida e sentamos nas pedras ao lado do rio para almoçarmos. Foi somente neste local que encontramos bastante gente, quase todos adultos mais jovens do que nós! Num clima de paz e comunhão com a natureza, todos gozavam da mesma beleza e tranqüilidade.

Dois dias, o tempo passou rápido e já estávamos de volta a Goiânia...Raramente conseguimos sair de nossas responsabilidades e simplesmente passear em um lugar muito especial; e poucas pessoas têm uma oportunidade igual esta. 


VoltarTopo