Reflexões
Transformar medo em amor!
17/11/2017

Estar ao ar livre é também uma ótima oportunidade de fazer amigos. A espontaneidade das plantas e dos animais estimula crianças e adultos a se abrirem para o mundo que os cerca. E descobrem quanta coisa têm em comum com aqueles que estão ali, naquele momento, curtindo a maciez do chão cheio de folhas, o barulho das folhas no contato com os pés enquanto caminham, os ninhos dos pássaros, o caminho das formigas, enfim, tanta coisa… Brincar com a natureza proporciona o despertar do sentimento de identidade entre as pessoas. E vão se formando amizades a partir desse compartilhar de encantamentos. Amizade é uma forma de amor. É um amor que se tem pelas pessoas, mas que também se pode ter pela natureza. Ela é a própria base de nossa capacidade de amar. É na minúcia do brincar com ela que esse amor vai nascendo, vai crescendo e os vínculos se formam. Muitas vezes algo da natureza nos dá medo. Podemos sentir medo do desconhecido, do imprevisível, ou até sentir medo só porque outras pessoas sentiram e aprendemos a nos assustar sem ter uma razão direta em nossa experiência. Seja lá qual for a origem desse medo, conforme a aproximação acontece, o medo se transforma em empatia e amor. E uma sólida amizade se forma. Transformar medo em amor é talvez o que mais se precisa aprender na vida! O amor pela natureza fortalece o vínculo entre as pessoas. Hoje em dia, nós duas, Rita e Carol, temos incontáveis amigos em comum, e isso dá força e vitalidade para a nossa amizade. Cada vez que uma ouve um sabiá cantando na janela sabe que a outra vai estar curtindo algum outro presente que a natureza oferece naquele momento. Porque isso acontece, na verdade, a todo instante. Perguntamos a nosso seguidores nas redes sociais: Você já fez amigos brincando lá fora? Recebemos muitos relatos de infância, emocionados, nos contando das grandes turmas que se formavam para explorar uma rua. Relatos que nos contam que era muito difícil estar só: “Sempre tinha outra criança por perto, amigo novo, amigo de 1h, amigos de 2h e amigos velhos… amigos que brincavam juntos, que brigavam, que aprendiam e cresciam junto”, nos contou Daiane Pujol, professora e orientadora, em um comentário virtual. Hoje, além desses encontros que o ambiente externo faz acontecer, a tecnologia dá uma ajudinha. “Participo de um grupo de mães no Facebook, que reúne mães do Brasil todo com filhos da mesma idade, onde divulgamos alegrias e angústias da maternidade. Postei uma foto de um passeio no parque que aconteceu porque uma das mães comentou que morava perto e combinamos de nos encontrar lá, levar os bebês para brincarem juntos. Já vai para um ano que nos encontramos todas as segundas-feiras no parque”, contou Ligia Jalantonio Hsu, do perfil @ocupababy. Não importa como esse encontro começa. Se foi espontâneo ou se teve uma ajudinha. Estar do lado de fora permite que os encontros aconteçam, nos permite conhecer o mundo também através das pessoas! Assim, desejamos a você e a suas crianças que a natureza seja cada vez mais aquela amiga com quem você pode contar pra tudo na vida e em especial para fazer e fortalecer amizades com as pessoas! Obrigada as autoras: Ana Carolina Thomé e Rita Mendonça Ana Carolina é pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica, e trabalha com primeira infância. Rita é bióloga e socióloga, ministra cursos, vivências e palestras para aproximar crianças e adultos da natureza. Quando se conheceram, em 2014, criaram o projeto "Ser Criança é Natural" para desenvolver atividades com o público. Neste blog, mostram como transformar a convivência com os pequenos em momentos inesquecíveis.
VoltarTopo